Releases e Fotos


ACM/ YMCA RECEBE SELO DE “EMPRESA AMIGA DA CULTURA”

A ACM/ YMCA conquista o selo ”Empresa amiga da Cultura” pelo empenho e dedicação à causa cultural no Brasil. A Instituição é uma das pioneiras em receber a chancela pelo Clube do Mecenas, produtora social responsável pela outorga do Selo.

O Selo é o reconhecimento de que a ACM/YMCA promove e incentiva o acesso à cultura dos associados e seus familiares. Só recebem o selo pessoas, instituições ou empresas que efetivamente incentivem, apoiem e ou patrocinem projetos e ações culturais.
Para receber a chancela a instituição deve trabalhar com idoneidade e dentro das normas das leis de incentivo a cultura e se enquadrar em pelo menos 2 dos quesitos abaixo:

Patrocinar projetos culturais utilizando leis de incentivo a cultura federais , estaduais ou municipais; Apoiar projetos culturais com serviços e ou produtos fundamentais para a realização dos mesmos; Promover e incentivar o acesso a cultura dos funcionários e seus familiares, através de ações, parcerias ou adesão ao vale-cultura; Fomentar o acesso a cultura de clientes com ações promocionais que incentivem a frequência de eventos culturais; Inovar nas políticas culturais internas da empresa; Promover e incentivar a formação cultural dos funcionários e seus familiares; Promover ações culturais em regiões de exclusão cultural ou periféricas;


E a ACM/ YMCA se enquadra em muito mais que dois quesitos, apoiando e incentivando a cultura por meio de ações e parcerias com grupos teatrais; fomenta o acesso à cultura dos associados com ações promocionais que incentivam a frequência em eventos culturais; e promove ações culturais em regiões de exclusão cultural ou periféricas, dentre outras ações que validam sua missão de fortalecer pessoas, famílias e comunidades com honestidade, respeito, responsabilidade e solidariedade.


Sobre a ACM / YMCA


A Associação Cristã de Moços – ACM / YMCA é uma instituição conhecida mundialmente por sua programação diversificada, que inclui além de atividades esportivas, programas culturais e de lazer para todas as faixas etárias, envolvendo toda a família. Sua atuação, na cidade de São Paulo, é expressiva: 12 unidades esportivas e 20 pontos de atendimento social, entre eles, 07 CDCs (Centros de Desenvolvimento Comunitário) e um Centro de Desenvolvimento Infantil, que proporcionam saúde e qualidade de vida para mais de 40 mil associados e 10 mil beneficiários.
Nos 12 centros esportivos, associados e beneficiários podem praticar esportes aquáticos, musculação, exercícios aeróbicos e jogos de quadra. A Instituição ainda promove atividades em acampamentos, intercâmbio internacional e viagens de aventura.
A ACM / YMCA São Paulo está entre as 10 maiores instituições filantrópicas no Brasil em volume de atendimento e projetos socioculturais. Em 2014, a Instituição completou 112 anos de existência!



30 anos de LUME TEATRO na Biblioteca Mario de Andrade

30 anos do LUME TEATRO

Em maio, Teatro na Mario é dedicado aos 30 anos do Lume Teatro

Criado em 11 de março de 1985 pelo pesquisador Luís Otávio Burnier em parceria com o ator Carlos Simioni, o LUME Teatro, núcleo de pesquisa da Unicamp – Universidade Estadual de Campinas, tornou-se referência mundial em pesquisas na arte do ator.
Ao longo de 30 anos, tornou-se conhecido em mais de 27 países, tendo atravessado quatro continentes, desenvolvendo parcerias especiais com mestres da cena artística mundial. Criou mais de 20 espetáculos e mantém dezesseis em repertório. Com sede em Barão Geraldo, Distrito de Campinas (SP), o grupo difunde sua arte e metodologia por meio de oficinas, demonstrações técnicas, intercâmbios de trabalho, trocas culturais, assessorias, reflexões teóricas e projetos itinerantes, que celebram o teatro como a arte do encontro.
E no mês de maio o grupo desembarca em São Paulo no projeto Teatro na Mario da Biblioteca Mario de Andrade, com duas pecas do repertório e uma demonstração Técnica com o Ator Fundador Carlos Simioni.



04/05/2015 - 19h30 - O Não-Lugar de Ágada Tchainik (30 anos do Lume teatro)
Sinopse:
Presa entre desastres, onde a sobrevivência é tudo, e cada próximo passo é uma decisão agonizante a ser – ou não ser – tomada, Ágada Tchainik aparece, convidando o público a segui- la, junto com seus “companheiros de estimação”, em sua viagem. Compulsiva, à beira de um ataque de nervos, com sua fala errante, ela torna o público seu grande parceiro, com quem interage, ora convocando sua ajuda, ora implicando com algum espectador, ora provocando, rindo, brigando. Conforme ela caminha por sua própria mente confusa, passeando por assuntos diversos, que vão desde lavar pratos até problemas diplomáticos, o drama de sua alma, ridícula e dolorosamente, se revela.
O espetáculo estreou em julho de 2004, dirigido pela canadense Sue Morrison, diretora artística do Theatre Resource Centre em Toronto e conhecida mundialmente por seu método de trabalho “O Clown Através da Máscara”, que mescla a tradição do clown sagrado das tribos indígenas norte-americanas com a do clown europeu.


Ficha Técnica:
Direção: Sue Morrison
Elenco: Naomi Silman
Realização: Lume Teatro
Tempo de Duração: 80 min.
Indicação Etária: 12 anos


__________________________________________


11/05/2015 - 19h30 - Prisão para a Liberdade (30 anos do Lume teatro)
DEMONSTRAÇÃO TÉCNICA DO TRABALHO DE CARLOS SIMIONI, LUME TEATRO
Sinopse:
A demonstração técnica aborda a trajetória do ator fundador do LUME - Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Unicamp.
Demonstra o percurso de 30 anos das pesquisas do ator junto ao LUME. Carlos Simioni começa a demonstração abordando o treinamento físico cotidiano, a construção de técnicas de expansão e dilatação do corpo no espaço e no tempo, as técnicas de manipulação de diferentes qualidades de energias e sua distribuição no espaço; além do treinamento vocal do ator, o encontro com outros mestres de linhas de trabalho e sua assimilação; e a passagem do treinamento para a elaboração de personagens e construção de cenas.
Em um segundo momento, Simioni mostra ao público a prisão em que a técnica pode colocar o ator e a impossibilidade de se livrar da técnica e a descoberta desta como trampolim para a transcendência de seu trabalho, chegando ao período de hoje, quando suas pesquisas levam o ator para outro plano de representação e de comunhão com o espectador.
Após a demonstração, o ator responderá a perguntas e dúvidas do público.


__________________________________________


18/05/2015 - 19h30 - Cnossos (30 anos do Lume teatro)
Sinopse:
Inspirado em fragmentos de Jorge Luis Borges, Lautréamont, Franz Kafka e Mário Quintana, um único ator em cena dança num fluxo constante, esbarrando em imagens, lugares, pessoas esquecidas e pálidas sensações que emergem das profundezas da memória. A ausência da palavra é parte integral da obra, abrindo outros canais de interação com o público. Um poema perturbador sobre a solidão, os sonhos e os pesadelos que povoam nossa alma.
Criado em 1995, o espetáculo estreou no Festival Internacional de Butoh e Teatro-Pesquisa em São Paulo e Brasília, e já se apresentou em diversas cidades do Brasil e ainda no Edinburgh Fringe Festival (Escócia), na Inglaterra, França, Finlândia, Nicarágua, Israel e Portugal.


Ficha Técnica:
Criação: Ricardo Puccetti e Luís Otávio Burnier
Atuação: Ricardo Puccetti
Direção: Luís Otávio Burnier
Realização: Lume Teatro
Indicação Etária: 12 anos

Obs.: No dia 25/05 não haverá programação.



PROGRAMAÇÃO TEATRO NA MARIO




Projeto TEATRO NA MÀRIO - Segundas-feiras de 2015 – 19h30 – De graça

70 anos de morte de Mário de Andrade - 90 anos da Biblioteca Mário de Andrade


Teatro na biblioteca agora toda segunda

Gero Camilo abre temporada de teatro de graça na biblioteca no dia 6 de abril. Entre os grupo, se apresentam Os Fofos, Club Noir, Cia Razões Inversas, Cia do Feijão, Casa Laboratório


Aos 70 anos da morte de um dos principais nomes do Modernismo brasileiro e 90 da biblioteca que leva seu nome, o projeto TEATRO NA MÁRIO entra em sua segunda edição. Com a boa receptividade de 2014, a série chega ampliada - de quinzenal passa a ter periodicidade semanal. Em sessão gratuita e aberta ao público em geral, a peça Cartas À/ De Pio, de Gero Camilo - baseado em cartas inéditas de Mário de Andrade - abre a programação das segundas-feiras de 2015, dia 6 de abril, às 19h30.

Parceria da produtora Clube do Mecenas com a Biblioteca Mário de Andrade – a 2ª maior biblioteca pública do País, com 4 milhões de itens, 50 mil volumes em obras raras e especiais -, este ano o projeto apresenta um total de 26 espetáculos. Outra peça inédita a ser encenada será A Casa Tomada – Quase uma Adptação, da Companhia Aberta, sobre o conto “A Casa Tomada”, de Julio Cortázar.

Além das peças vão acontecer, ainda, as seguintes atividades artísticas – a aula demonstrativa de Carlos Simioni do Lume Teatro (que comemora 30 anos), uma mesa de debate sobre Teatro, quatro apresentações de grupos de teatro da periferia de São Paulo, quatro apresentações de grupos amadores de escolas conceituadas na linguagem teatral e a palestra da atriz Denise Stoklos (sobre os 45 anos do seu Teatro Essencial, encerrando o ano )( oque encerra o ano é o espetáculo vozes dissonantes. Ao todo, serão 29 atividades culturais.

“Este ano, além de manter a proposta curatorial de 2014, apresentamos também espetáculos de grupos com sede na cidade de São Paulo, como Cia do Feijão, Os Fofos Encenam, Casa Laboratório, Club Noir e Cia Razões Inversas. O objetivo é fortalecer essa teia cultural, ou seja, incentivar o intercâmbio de público para os diversos espaços teatrais da cidade”, diz Lucas Lassen, produtor do projeto, ao lado de Tatiana Bueno, ambos do Clube do Mecenas.

Como principal objetivo de consolidar a Biblioteca Mário de Andrade na cena teatral paulista, Teatro na Mário tem a proposta de fomentar plateias e firmar o auditório da biblioteca no calendário teatral da cidade, valorizando sua estrutura intimista do espaço.

Por conta da Lei 15.052 - que prevê que as bibliotecas passem a corresponder às expectativas e às manifestações da sociedade -, a Biblioteca Mário de Andrade passou a contar, desde 2009, com o setor de supervisão de ação cultural, departamento que tem a responsabilidade de oferecer ao público, de graça, uma programação diversa.

De acordo com Tarcila Lucena, “a continuidade do projeto é essencial para consolidar a Biblioteca Mário de Andrade como um importante centro de difusão da linguagem teatral". Para ela, “bibliotecas não são apenas depositários de livros, mas sim centros de informação. Devem conversar com outras linguagens artísticas, com seu entorno. Estamos ampliando a noção do que é informação, dialogando com outras áreas da cultura”.


Teatro na Mario 2015 - Sinopse e Ficha Técnica - PROGRAMAÇÃO


06/04/2015 - 20h - Cartas à/de Pio

Sinopse:
A peça se desenvolve sobre a correspondência trocada entre Pio Lourenço Corrêa e Mário de Andrade (1917 a 1945). Num palco com uma banheira, uma mesa e duas cadeiras os dois personagens se alternam entre correspondências, ora separados ora juntos, criando com isso um diálogo dramatúrgico sobre a amizade entre os dois personagens, a partir das cartas e fotos retiradas do livro “PIO & MÁRIO – diálogo da vida inteira”

Ficha técnica:
Elenco: Gero Camilo e Victor Mendes
Direção e Concepção: Gero Camilo
Luz: Karine Spuri
Duração: 60 minutos. Indicação Etária: 14 Anos

__________________________________________

13/04/2015- 20h - A Poltrona Escura

Sinopse:
A Poltrona Escura reúne duas das 277 novelas escritas por Luigi Pirandello: Os Pés na Grama, O Carrinho de Mão e O Sopro, presentes nos livros “Berecche e la guerra” e “Candelora”. Apresenta o olhar lúcido, divertido e cruel de Pirandello sobre a condição humana. O espetáculo estreou em 2004 e foi considerado um dos cinco melhores do ano pela APCA. Pelo trabalho, Cacá Carvalho recebeu o Prêmio Shell de Melhor Ator.

Ficha Técnica:
Com: Cacá Carvalho
Direção: Roberto Bacci
Dramaturgia: Stefano Geraci
Colaboração para a tradução: Anna Mantovani
Cenário e Figurino: Márcio Medina Iluminação: Fábio Retti
Assistente de Figurino: Maristela Tetzlaf Tradução: Cacá Carvalho
Produção: Fondazione Pontedera de Teatro
Realização: Casa Laboratório para as Artes do Teatro e Fondazione Pontedera Teatro/Itália Duração: 60 minutos
Indicação Etária: 16 anos

__________________________________________

27/04/2015- 20h - A Noite em que Blanche Dubois chorou sobre Minha Pobre Alma

Sinopse:
Estela é uma atriz decadente e frustrada por ter perdido o papel de Blanche Dubois, personagem emblemática de “Um Bonde Chamado Desejo”. Sozinha há oito anos, desde a morte de seu marido, ela contrata os serviços de Johnny, um garoto de programa. O jovem viveu a infância em cemitérios e também tenta esquecer seu triste passado. Neste encontro, os dois compartilham seus sonhos e vivencias e se revelam dois solitários dependentes da bondade de estranhos.

Ficha Técnica:
Texto: Jarbas Capusso Filho
Elenco: Inês Aranha E Daniel Morozetti
Direção: Renato Andrade
Cenografia: Cristiano Panzarin Figurinos: David Parizotti
Iluminação: Cecilia Lusz
Produção: Luciana Paz
Fotos: Jô Capusso
Indicação Etária: 14 Anos

__________________________________________

04/05/2015 - 20h - O Não-Lugar de Agada Tchainik (30 anos do Lume teatro)

Sinopse:
Presa entre desastres, onde a sobrevivência é tudo, e cada próximo passo é uma decisão agonizante a ser – ou não ser – tomada, Ágada Tchainik aparece, convidando o público a segui- la, junto com seus “companheiros de estimação”, em sua viagem. Compulsiva, à beira de um ataque de nervos, com sua fala errante, ela torna o público seu grande parceiro, com quem interage, ora convocando sua ajuda, ora implicando com algum espectador, ora provocando, rindo, brigando. Conforme ela caminha por sua própria mente confusa, passeando por assuntos diversos, que vão desde lavar pratos até problemas diplomáticos, o drama de sua alma, ridícula e dolorosamente, se revela.
O espetáculo estreou em julho de 2004, dirigido pela canadense Sue Morrison, diretora artística do Theatre Resource Centre em Toronto e conhecida mundialmente por seu método de trabalho “O Clown Através da Máscara”, que mescla a tradição do clown sagrado das tribos indígenas norte-americanas com a do clown europeu.

Ficha Técnica:
Criado e escrito por: Naomi Silman e Sue Morrison Atuação: Naomi Silman
Direção: Sue Morrison
Concepção de luz: Eduardo Albergaria
Construção de cenário: Abel Saavedra
Confecção de adereços: Abel Saavedra e Eduardo Albergaria
Coordenação técnica: Francisco Barganian
Designer gráfico: Arthur Amaral
Direção de produção: Cynthia Margareth
Assessoria de Comunicação: Marina Franco
Realização: Lume Teatro
Tempo de Duração: 80 min.
Indicação Etária: 12 anos

__________________________________________

11/05/2015 - 20h - Prisão para a Liberdade (30 anos do Lume teatro)

DEMONSTRAÇÃO TÉCNICA DO TRABALHO DE CARLOS SIMIONI, LUME TEATRO

Sinopse:
A demonstração técnica aborda a trajetória do ator fundador do LUME - Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Unicamp.
Demonstra o percurso de 26 anos das pesquisas do ator junto ao LUME. Carlos Simioni começa a demonstração abordando o treinamento físico cotidiano, a construção de técnicas de expansão e dilatação do corpo no espaço e no tempo, as técnicas de manipulação de diferentes qualidades de energias e sua distribuição no espaço; além do treinamento vocal do ator, o encontro com outros mestres de linhas de trabalho e sua assimilação; e a passagem do treinamento para a elaboração de personagens e construção de cenas.
Em um segundo momento, Simioni mostra ao público a prisão em que a técnica pode colocar o ator e a impossibilidade de se livrar da técnica e a descoberta desta como trampolim para a transcendência de seu trabalho, chegando ao período de hoje, quando suas pesquisas levam o ator para outro plano de representação e de comunhão com o espectador.
Após a demonstração, o ator responderá a perguntas e dúvidas do público.

__________________________________________


18/05/2015 - 20h - Cnossos (30 anos do Lume teatro)

Sinopse:
Um mergulho dentro da mitologia pessoal de um homem que percorre os corredores de um labirinto na tentativa de encontrar saída, criando um poema perturbador sobre a solidão, os sonhos e os pesadelos que povoam os seres humanos.

Inspirado em textos de Jorge Luis Borges, Lautréamont, Franz Kafka e Mário Quintana, um único ator em cena dança num fluxo constante, esbarrando em imagens, lugares, pessoas esquecidas e pálidas sensações que emergem das profundezas da memória.
Criado em 1995, o espetáculo estreou no Festival Internacional de Butoh e Teatro-Pesquisa em São Paulo e Brasília, e já se apresentou em diversas cidades do Brasil e ainda no Edinburgh Fringe Festival (Escócia), na Inglaterra, França, Finlândia, Nicarágua, Israel e Portugal.

Ficha Técnica:
Criação: Ricardo Puccetti e Luís Otávio Burnier
Atuação: Ricardo Puccetti
Direção: Luís Otávio Burnier
Iluminação: Ricardo Puccetti e Eduardo Albergaria
Designer gráfico: Arthur Amaral
Coordenação técnica: Francisco Barganian
Direção de produção: Cynthia Margareth
Assessoria de comunicação: Marina Franco
Realização: Lume Teatro
Indicação Etária: 12 anos

__________________________________________

01/06/2015 - 20h - Anoesis
“Anoesis”, adaptação do texto do grupo escocês Junction 25 – Glas(s) Performance, e direção de Luaa Gabanini, com alunos da Escola Superior de Artes Célia Helena (ESCH), em outubro de 2014, participou da Mostra de Teatro Jovem, dentro do Projeto Conexões (versão brasileira do New Connections, de Londres).
A peça retrata as discussões de um grupo de estudantes sobre a educação escolar formal, as provas, o sucesso, o fracasso e os sistemas que os afetam mesmo se escolhem fazer parte deles ou não. O projeto é uma iniciativa do British Council, Colégio São Luís, Cultura Inglesa, Escola Superior de Artes Célia Helena e National Theatre, que incentiva o teatro feito por jovens e para jovens como ferramenta para a formação humana e cultural. Fomenta, por intermédio do trabalho em equipe, a criação de espaços para a reflexão e expressão das questões presentes no jovem de hoje. A partir do texto original, a diretora Luaa Gabanini e elenco reconstruíram e aproximaram a discussão sobre a educação formal para a realidade brasileira.

Sinopse:
“O que uma prova pode provar sobre nós? Em meio a regras, erros, aprendizados e questionamentos, tentamos entender o que cada indivíduo pode significar. Enquanto isso, o mundo continua girando, as máquinas continuam funcionando, nós continuamos em busca de evolução e o tempo não para. Só não se esqueça de manter a sapiência. Anoesis significa “ estado de espírito de pura sensação sem entendimento cognitivo“. (Bianca Bertoloto, atriz)

Ficha Técnica:
Texto original: Junction 25 - Glas(s) Performance
Texto adaptado: Luaa Gabanini e elenco
Direção: Luaa Gabanini
Elenco: Barbara Berta, Bianca Bertolotto, Clara Ignez Boucher, Daniel D. Castro, Fhelipe Chrisostomo, Isabel Oliveira, Isadora Madsen, Jessica Rodrigues, Júlia Caterina, Larissa Janotti, Laura La Padula, Liz Carvalho, Matheus Polimeno, Pedro Augusto Monteiro, Rodolpho Capelas e Victória Martinez.
Assistência de direção: Fernando Ghirardelli e Mantu Novaes
Produção: Jessica Rodrigues e Victória Martinez
Equipe de design gráfico: Bianca Bertolotto, Fernanda Assef, Laura La Padula, Rebecca Catalani
Cenografia e figurino: o grupo
Desenho de luz e operação: Juliana Tedeschi e Luiza Gerbasi
Trilha Sonora: criação coletiva
Arranjos: Matheus Polimeno e Pedro Augusto Monteiro
Consultoria em spoken word: Roberta Estrela D’Alva
Fotografia: João Caldas
Realização: Escola Superior de Artes Célia Helena
Apoio: Projeto Conexões
Duração: 1h
__________________________________________
08/06/2015 - 20h - Ócio do Oficio

Sinopse:
Uma comédia-desabafo que diverte trazendo a identificação de quem passa por essa louca trajetória e desmistifica a imagem que todos tem da profissão. Vanessa Goulartt, quarta geração da família de atores Bruno – Goulart, busca expor as dificuldades que uma atriz vinda de uma tradicional família de artistas enfrenta ao contrário do que pensam.


Ficha Técnica:
Direção: Paulo Goulart Filho
Colaboração: Guilherme Uzeda
Elenco: Vanessa Goulartt Indicação Etária: 12 anos

__________________________________________


15/06/2015 - 20h - Denise Stoklos - 45 anos

Em 2015 Comemoramos 45 anos de carreira de Denise Stoklos.
Nesses 45 anos de carreira, Denise Stoklos, atriz e diretora, consolidou seu nome apresentando espetáculos provocativos em mais de trinta países.
Além de atuar, Denise assina o texto, a sonoplastia e a direção de suas peças.
Nesse encontro, Denise discorre sobre sua carreira e seu TEATRO ESSENCIAL.


_________________________________
22/06/2015 - 20h - Mire e Veja

Sinopse
São 24 histórias curtas, fragmentadas e entrelaçadas, que falam da vida na metrópole e de pessoas de diversas origens e classes sociais que nela habitam. Com cerca de 30 personagens que não se encontram, as histórias encadeiam-se como flashes no tempo impossível da grande cidade. Um mosaico a partir do qual é possível vislumbrar uma parte desse universo tão densamente povoado pela diversidade.



Ficha Técnica:

Realização: Cia do Feijão
Direção e Dramaturgia: Pedro Pires e Zernesto Pessoa
Direção Musical: Julio Maluf
Cenografia: Petronio Nascimento
Figurinos: Marina Reis
Iluminação: Marinho Piacentini
Operação de Luz: Flávio Pires
Elenco: Fernanda Haucke, Guto Togniazzolo, Pedro Pires, Vera Lamy e Zernesto Pessoa
Indicação Etária: 14 anos
Duração: 70’

__________________________________________

29/06/2015 - 20h - Trupe Quixotesca (Zona Sul, Ipiranga)

Trupe Quixotesca, um grupo de jovens de 18 a 21 anos. O grupo se originou da oficina Teatro II do Quixote – Espaço Comunitário, em 2011 e, desde então, propaga seus ideais com o espetáculo “A Lenda dos Ibejis”.
O espetáculo, elaborado para apresentar-se tanto em espaços alternativos de rua como em salas fechadas, foi montado coletivamente pelos integrantes da Trupe, tanto dramaturgia quanto encenação, figurino, sonoplastia, cenografia, produção e iluminação. Através de variadas linguagens artísticas, “A Lenda dos Ibejis” aborda temas cotidianos da vida dos jovens, porém, enfatizando a de meninos de rua. Com a música, o circo, a dança e o teatro, trabalham com a cultura brasileira e afra brasileira de maneira inusitada, divertida e acolhedora.


Sinopse:
“Inspirados em um conto da mitologia dos Orixás, os atores contam a história dos irmãos gêmeos que salvam o mundo das garras de Icu, a Deusa do mal. Adaptado para o contexto urbano moderno, os irmãos Ibejis são aqueles que, abandonados pela miséria material e moral da família e da sociedade, ingressam na vida de rua e passam por duras, inúmeras e inusitadas provas de sobrevivência. E é quando sozinhos e desprezados pelo mundo que os Ibejis descobrem que não estão realmente sós. A Natureza confiou a eles um inato, único e intransferível talento: o talento de criar e fazer a própria Arte.
Assim como os protagonistas da história, a trupe deseja espantar a violência, a corrupção, a enganação, o excesso de vaidades e a rivalidade da cidade que se encontra num caos; atuam tocando, cantando, dançando, fazendo acrobacias, malabarismos e, acima de tudo, encantando.”

__________________________________________


06/07/2015 - 20h - Deus é DJ

Sinopse
Numa mistura de teatro, vídeo e música, o público assiste a uma história que dialoga de forma bastante humorada com a loucura dos nossos tempos: a necessidade de se expor, a confusão entre o público e o privado e a busca por sentimentos autênticos. Um Casal de artistas - Ele é um DJ e ela uma VJ - é contratado por uma galeria de arte para viver nela, fundindo vida e obra, oferecidas ao público e registradas por câmeras. Em meio ás histórias que contam sobre si mesmos, aos poucos acreditamos conhecer melhor aquelas duas pessoas.

Ficha Técnica
Texto: Falk Richter
Direção e Idealização: Marcos Damigo
Tradução: Marcelo Rubens Paiva/ Annete Ramershoven
Elenco: Ana Paula Lopez, Lucas Brandão

__________________________________________


13/07/2015 - 20h - Fricção (INDAC)

Durante três décadas de trabalho, o Indac firmou-se como um dos cursos mais respeitados pela classe teatral. A razão principal é que o trabalho, apesar de ser voltado para a formação técnica do ator, nunca deixou de estimular os alunos a tornarem-se artistas criadores, em outras palavras, senhores de seu próprio estilo.

O ensino é direcionado para o auto-conhecimento e para a construção do estilo pessoal. No Indac a personalidade artística e a consciência de si e do mundo são essenciais. Além de preparar tecnicamente, o objetivo é fortalecer o indivíduo tanto culturalmente como emocionalmente.

O espaço mais generoso para a arte do ator é hoje, como sempre foi, o teatro, e é para ele que é voltado essencialmente o processo de aprendizado da escola. Pois, como é notório no meio artístico, um intérprete de teatro pode atuar em qualquer veículo de expressão que busque um ator. E pode atuar de modo pleno. Assumir essa verdade conhecida pelos principais profissionais da área é uma das razões do reconhecimento do Indac.


________________________________________
20/07/2015 - 20h - Ser Outra

Sinopse
Uma lâmpada acende no sótão do inconsciente de uma mulher. Ilumina seus móveis antigos, suas memórias, loucuras e incertezas. O encontro entre uma cadeira, uma mulher e seu avesso. Um espetáculo com interfaces entre o teatro, a dança e a performance, numa reflexão crítica sobre a violência e midiatização do corpo feminino.
As artistas pesquisam a ruptura dos limites da dança contemporânea, do teatro e da performance, resultando em uma linguagem híbrida, onde a teatralidade não está centrada apenas no texto falado, mas também nas imagens criadas pela relação entre os corpos das interpretes e os objetos presentes em cena.

Ficha Técnica:
Orientação: Weley D”alessandro e Prem Mukti Mayi
Desenho de Luz: Roberto Setton e Lucas Brandão
Figurinos: Mahalakshmi Store
Elenco: Ana Paula Lopez e Paty Jaya
Duração: 50 minutos. Indicação Etária: 14 anos

__________________________________________

27/07/2015 - 20h - JOVENS AMADORES Vocacional CEU Sapopemba Zona Leste

Cia de Teatro Jovens Amadores realiza releitura da peça “Macbeth” de William Shakespeare. O projeto é feito sob orientação de Rafael Truffaut por meio do Programa Vocacional do CEU Sapopemba.
O grupo foi fundado em Setembro de 2012, com o objetivo de criar uma Companhia independente de jovens vocacionados.

__________________________________________

03/08/2015 - 20h - Agreste

Sinopse
No meio da seca, um casal de lavradores simples descobre o amor e fogem.
Pressentem que "algo" de perigoso paira sobre seu amor. A esposa vem a compreender o porquê, nos depois, após a morte do marido. Essa mulher machucada pela perda, sem entender a dimensão de seus atos, acaba sendo vítima do horror da intolerância.
AGRESTE é um vigoroso manifesto poético, uma fábula sobre ignorância, preconceito e amor incondicional. Em cena, dois atores narram e representam as personagens de sua estória. Esses atores montam e desmontam a cena, com o mesmo domínio que assumem a passagem narrador-personagem para personagem-narrador.

Ficha Técnica:
Encenação: Marcio Aurelio
Texto: Newton Moreno
Com: Paulo Marcello e Clóvis Gonçalves.
Cenários e figurinos: Marcio Aurelio
Iluminação: Marcio Aurelio
Preparação corporal: Lu Favoreto e Marina Caron
Visagismo: Narciso Guilherme (cabelos) e Sérgio Bonfim (maquiagem)
Operação de luz e som: André Luiz Lemes
Fotos projeções em cena: Angélica Del Nery
Programação visual: Paulo Marcello
Assistente de Produção: Maria Seckler
Direção de Produção: Paulo Marcello
Realização: Razões Inversas Marketing Cultural
Faixa etária: Acima de 14 anos
Classificação: 16 anos
Duração: 60 minutos

__________________________________________

10/08/2015 - 20h - Marica

Sinopse:
Com liberdade poética, MARICA narra os últimos instantes de vida de Federico García Lorca diante de seu assassino, enquanto diferentes personagens reais da vida do protagonista vão surgindo no palco através de suas próprias memórias.
Complementam a comovente fábula, momentos de brilhante poesia em que Federico questiona por meio de valores a sua origem, o horror que exercem as tiranias e o repúdio a todas as formas de intolerância.

Ficha Técnica:
Autor: Pepe Cibrián Campoy
Diretor: Marcio Aurelio
Ator: Washington Luiz
Diretora assistente: Lígia Pereira
Preparação corporal e coreografia: Marize Piva
Tradução: Washington Luiz
Cenografia: André Cortez
Figurino: Marcio Aurelio e Lígia Pereira
Iluminação: Marcio Aurelio e Silviane Ticher
Trilha sonora original: Daniel Maia
Fotografia: Laercio Luz
Assessoria de Imprensa: Adriana Monteiro, Oficio das Letras
Produção Executiva: Washington Luiz
Duração do espetáculo: 50 minutos
Indicação Etária: 14 anos

__________________________________________

17/08/2015 - 20h - H.A.M.L.E.T.

Sinopse:
De Roberto Alvim. Inspirado na tragédia de William Shakespeare, o dramaturgo criou uma leitura contemporânea para os conflitos do príncipe da Dinamarca. Aqui, os personagens originais aparecem em uma atmosfera de delírio ambientada em uma metrópole

Ficha Técnica:
Texto: Roberto Alvim
Direção: Juliana Galdino
Elenco: Arthur Rangel, Danilo Rodrigues, Filipe Lacerda, Luísa Michelette, Renato Forner, Taynã Rodrigues e Vinicius Tardelli.
Indicação Etária: 14 anos.

__________________________________________

24/08/2015 - 20h - GRUPO O NÚCLEO (Zona Oeste )

Sinopse:
O grupo encena “Inefavel”, uma peca onde Realidade e delírio se misturam dentro de uma casa. M vive sozinha, imersa em lembranças e fabulações sobre seu passado feliz. Sabe que a vida já foi muito melhor, muito diferente, e não consegue voltar a sentir-se bem. M busca sentido para as coisas em sua vida, porém, sabe que o mundo lá fora é tão cinza quanto seu mundo interno.

Ficha Técnica:
Direção: Anna Galli
Elenco: Kkau Tolentino
Cenografia e Figurino: Ivan Zancan

__________________________________________

31/08/2015 - 20h - Quando era Bonita

Sinopse:
A comédia se passa durante uma festa de confraternização de fim de ano de uma empresa, enquanto duas mulheres paqueram, falam mal das colegas, dançam e relembram bons momentos que já ficaram para trás. Entre um drinque e outro, elas mostram como é ser uma mulher de meia-idade livre e que adquire novos padrões de beleza.

Ficha Técnica:
Gênero: Comédia
Com: Ester Laccava e Lulu Pavarin
Duração: 60 minutos
Classificação: 16 anos
Texto e direção: Elzemann Neves
Classificação: 14 anos.

14/09/2015 - 20h - Jogo Cênico


Sinopse:

Em sua 17º edição, o Jogo Cênico, ministrado pelo dramaturgo e diretor Renato Andrade do Núcleo Independente de Teatro, apresenta uma compilação de 32 solos. A encenação reúne quinze atores numa dinâmica cênica apoiada na força dramatúrgica de textos diversos que mesclam tragédias, dramas e principalmente depoimentos. Nesta edição estão presentes solos de autores como Tennessee Williams, Dostoievski, Tchecov, Shakespeare, Carolina de Jesus, Walmor Chagas, Lima Duarte e Fernanda Montenegro


Ficha Técnica:

Gênero: Documentário Cênico

Elenco: Bruno Cezar, Daiana Cintra, Eduardo Brito, Eduardo Leoni, Francesco Minelli, Lucas Martinez, Luci Nunes, Luciana Garcia, Malu Andrade, Maria Helena Alvim, Renata Gomes, Stela Carmo e Will Bittencourt. Atrizes Convidados: Bruna Ribeiro e Nina Marquetti.


Dramaturgia e direção: Renato Andrade

Fotos: Allan Bravos

Duração: 60min

Indicação Etária: 14 anos


__________________________________________


21/09/2015 - 20h - Linha 4

Da observação dos transeuntes por 10 anos na Passagem Literária, surge o desejo de atuar dança para dizer dos corpos que antes se tropessavam em leituras e hoje nas pessoas. O uso da tecnologia passa a ser uma extensão do corpo para dentro. As manifestações externas ao corpo, nada diz respeito aos que estão de fora. Linnha 4 é a esteira tecnológica da Estação de Metrô (Linha - 4 Amarela) para Passagem Literária, escrita  pela "Na Cia de Odete dança".  


Criadoras intrepretes: Márcia Salgado e Odete Machado

Concepção: Odete Machado

Direção Geral: Márcia Salgado

Iluminação: Lisa Medeiros

Video Maker: Teo Ponciano

DIREÇÃO ARTÍSTICA: Celô Lacava e Aicram Sal

Duração: 50min

Indicação Etária: 12 anos



__________________________________________


28/09/2015- 20h - A mulher do trem


Sinopse:

A Mulher do Trem é uma comédia que se passa no Rio de Janeiro

na década de 40. No dia do casamento entre Alice e Gustavo, o rapaz aconselha o sogro a ser mais enérgico com a sogra ditadora. Ele ainda confidencia ao sogro uma aventura de solteiro em uma viagem de trem, quando teve um caso com uma mulher misteriosa de quem sequer viu o rosto, pois ela o cobria com um véu. A sogra ouve “acidentalmente” toda a conversa e decide vingar-se de Gustavo, dizendo a ele, logo após a cerimônia, que ela era a mulher do trem. A partir daí, uma série de situações cômicas desencadeiam-se, pois o marido passa a pensar ser o pai da própria esposa.

Inspirada na saudade dos bons e velhos tempos do Brasil bonachão pequeno-burguês, o espetáculo tem como cenário a sala de visitas de uma casa da classe média, na qual desfilam os tipos costumeiros: a sogra ditadora, o pai acuado e libertino, o galã, a ingênua, o amigo bêbado e sua esposa que trai e é traída, a prostituta de luxo, o impertinente, os empregados intrometidos; ou seja, desfilam pelo texto todos os personagens típicos da dramaturgia da época.


Ficha Técnica:

Texto: Maurice Hennequin e Georges Mitchell

Direção: Fernando Neves

Elenco: Carlos Ataide,Cris Rocha, Eduardo Reyes, Erica Montanheiro, José Roberto Jardim , Katia Daher, Marcelo Andrade, Paulo de Pontes, Stella Tobar e Zé Valdir

Direção Musical e Pianista: Fernando Esteves

Cenário: Leopoldo Pacheco e Marcelo Andrade

Figurino: Carol Badra e Leopoldo Pacheco

Iluminação: Eduardo Reyes

Direção de produção: Eduardo Reyes

Duração: 90 min.

Indicação Etária: 12 anos


__________________________________________

05/10/2015 - 20h - A IMPORTÂNCIA DO PÚBLICO PARA O TEATRO

Com mediação de Deolinda Vilhena, e participação de representantes de diversos grupos com teatro-sede na cidade, essa mesa pretende levantar o debate acerca da importância do público como fomentador do Teatro.

Deolinda Vilhena formou-se em Comunicação Social – habilitação em jornalismo na Faculdade da Cidade (1983), cursou mestrado em Artes Cênicas na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP) (2001), mestrado (DEA) em Théâtre et Arts du Spectacle – Institut d’Etudes Théâtrales – na Université de la Sorbonne Nouvelle (2002), doutorado em Théâtre et Arts du Spectacle pela Université de la Sorbonne Nouvelle-Paris III (2007) e pós- doutorado na Universidade de São Paulo (USP), com estágio de três meses na Université Paris Ouest Nanterre La Défense - Paris X.
O projeto de pesquisa de pós-doutorado intitulado Produção teatral: da prática à teoria – a sistematização de uma disciplina culminou com a implantação da disciplina Produção Teatral, na grade curricular do curso de Artes Cênicas, da Escola de Comunicações e Artes, da USP.
Atualmente, é Professora Adjunta do Departamento de Técnicas do Espetáculo da Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia (Ufba). Coordena o projeto de pesquisa No Reino dos Festivais, que propõe a discussão da efetividade dos festivais de cultura realizados no Brasil, a partir da dimensão da Economia da Cultura.
Sua pesquisa atual é sobre a importância do público para o teatro.

__________________________________________

19/10/2015 - 20h - Anjo Torto - Garbel

Sinopse:
Fazendo uso da fluência e do poder de penetração da linguagem coloquial, o ator Marco Antonio Garbellini transforma os poemas de Drummond num relato vivo e em seu solo intitulado Anjo Torto, nos traz um inquieto questionamento do mundo e de si mesmo.

Ficha Técnica:
Dramaturgia e interpretação: Marco Antônio Garbellini. Direção: Sérgio Milagre
Assistente de Direção: Silvana Belizário.
Indicação Etária: Livre.

__________________________________________

26/10/2015 - 20h - Galharufa 3 - Escola Célia Helena

A Biblioteca abre as portas para atores iniciantes ainda em formação, para participação no “Teatro na Mario”, contribuindo com a formação destes jovens, proporcionando a vivência de compartilhar o palco com atores e grupos profissionais dentro de um mesmo projeto, e de se apresentarem para um público de fora da escola de teatro pela primeira vez, como num rito de passagem.

__________________________________________

09/11/2015 - 20h - Carcere

Sinopse:
Cárcere apresenta uma semana na vida de um pianista que estando no cárcere (PRIVADO DA LIBERDADE E DE SEU PIANO) será refém numa rebelião iminente. Ele vive em ritmo de contagem regressiva e suas expectativas, impressões, lembranças, reflexões e sensações são expressadas por ele num diário que inicia numa segunda-feira e termina quando estoura a rebelião, um domingo.

Ficha Técnica:
Direção, iluminação e atuação: Vinícius Piedade
Texto: Saulo Ribeiro e Vinícius Piedade
Trilha Sonora: Manuel Pessôa
Concepção visual: Márcio Baptista
Figurino: Cynthia Guedes
Fotos: Joffre Oliveira
Indicação Etária: 14 anos

__________________________________________

16/11/2015 - 20h -  Quase uma adaptação

Sinopse:
Quase uma adaptação do conto a Casa Tomada de Julio Cortazar, onde a história é centrada em dois irmãos, mergulhados na mesma rotina, a qual se resume à casa em que vivem. Subitamente ela é invadida por fenômenos inusitados e desprovidos de razão, e assaltados pelo terror seus ocupantes não veem outra saída senão abandonar o casarão. Nesta adaptação, o realismo fantástico da obra original, se funde com a realidade quase fantástica, de tão absurda, dos dias de hoje. E utiliza do metateatro para resistir, ao contrário dos protagonistas aos fenômenos desprovidos de razão da atualidade.


Ficha Técnica:
Dramaturgia: Lucas Lassen

Pesquisa e Consultoria Histórica: Ricardo Cardoso
Direção: Tatiana Bueno
Elenco: Everson Romito
Iluminação: Lisa Medeiros
Cenário e Figurino: Osvaldo Piva
Indicação Etária: 14 anos

__________________________________________

23/11/2015 - 20h - Vozes Dissonantes

Em comemoração aos seus 45 anos de carreira Denise Stoklos revisita seu repertório. Para a Biblioteca Mario de Andrade, escolheu “Vozes Dissonantes”.

Sinopse
O espetáculo aborda expressões de filósofos, estetas, políticos, poetas, de figuras como Padre Antônio Vieira se manifestando contra a escravatura, passando por análise do papel de Tiradentes, manifestações de José Bonifácio, idéias de Milton Santos e outros que nos inspiram com sua coragem autoral a criação de novos rumos para uma sociedade ainda tão jovem e plena de futuro. Espetáculo otimista porque acredita na ação, e reflexivo porque vasculha nossas momentos libertários e as vozes que os promulgaram, sempre com vistas em proporcionar fortalecimento de atitudes responsáveis e de transformação.

Ficha Técnica:
Adaptação, texto original, coreografia, sonoplastia, direção e interpretação: Denise Stoklos
Orientação de pesquisa: Lauro Moreira
Espaço cenográfico e fotografia: Thais Stoklos Kignel
Iluminação: Fernando Jacon
Operação de luz: Paulo José Ribeiro Som: R4
Assistente de direção (Nova Iorque): Wilson Lória
Assistente de direção (São Paulo): Tereza Freire
Duração: 70 minutos
Indicação Etária: 10 anos




Faça download das Fotos de divulgação do Teatro na Mario 2015Clique na foto e faça download das fotos de divulgação da programação do teatro na Mario 2015 em boa resolução.